Meu perfil
BRASIL, Nordeste, ARACAJU, TERRA DURA, Mulher, de 04 a 08 anos, Spanish, French, Bebidas e vinhos, Bebidas e vinhos, cachaça



Arquivos
 16/07/2006 a 31/07/2006
 01/07/2006 a 15/07/2006
 16/06/2006 a 30/06/2006
 01/06/2006 a 15/06/2006
 16/05/2006 a 31/05/2006
 01/05/2006 a 15/05/2006
 16/04/2006 a 30/04/2006
 01/04/2006 a 15/04/2006
 16/03/2006 a 31/03/2006
 01/03/2006 a 15/03/2006

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 Tirinhas dos Malvados!
 ZeroZen - O mau humor na internet
 cocadaboa




Blog de vacallx
 


Aprender a ler

   Que o Governo é um mestre em fazer propagandas terríveis ninguém duvida, mas querer fazer de um dos seus maiores descompromissos históricos com a sociedade uma virtude é demais. Mas eis que está sendo vinculada na mídia a tenebrosa propaganda sobre a alfabetização, auqlea da musiquinha que esteriotipa o sotaque nordestino: Pra aprender a ler pra isso não tem hora...
   Vejam o absurdo do primeiro verso, quem disse que para aprender a ler não tem hora? Nem é preciso se deter muito nas explicações, mas até os idiotas (que possuem um discurso programado) sabem que é na infância que se deve aprender a ler. Dae vem o Governo que naturalmente negligencia a educação de grande parte da população fazer pose de que é bonzinho por ensinar a adolescentes, adultos e velhos a lerem. Questionar porque não foi ensinado antes é desnecessário, mas acreditar nessa conversa do Governo é atestado de idiotice! Pior mesmo só quem achou essa propaganda e a musiquinha legais.



Escrito por vacallx às 17h05
[] [envie esta mensagem
]





Governo e seus atrasos culturais

   Se as coisas fossem como dizem ser, o governo deveria ser o primeiro a acompanhar as mudanças científicas que têm relação com os padrões culturais de um povo. Um exemplo disso é a idéia de raça que há muito tempo foi rejeitada pela Biologia. Hoje é consenso que esse conceito é totalmente equivocado, tem uma visão viciada e ajudou a criar atrocidades que a humanidade lembra com tristeza.
   Mas e o governo, quala  sua posição sobre isso? Aparentemente não leu uma linha sequer de qualquer tese ou defesa do abandono do conceito de raças. Prova disso é que em suas propagandas e seus programas têm a defesa de cota para negros, deferenciados como raça, em certas instituições como a universidade, por exemplo.
   Alguém levantou a questão de que bastaria trocar o termo e a condição de raça para o social, ou seja, em vez de negros os pobres teriam sua cota de ingresso em certas instituições. Mas isso nem foi levado em conta, foi simplesmente ignorado. Demagogia é um aparato da democracia real, quem quizer que ainda se iluda com a democracia

 



Escrito por vacallx às 17h32
[] [envie esta mensagem
]





Asa Branca e a ditadura militar

   A canção de Luiz Gonzaga, Asa Branca, durante a ditadura militar ficou sobre a suspeita se deveria ou não ser censurada. A canção fala dos problemas do sertão nordestino e da tristeza de um povo que é obrigado a abandonar suas origens em busca de condições melhores. Mas diferente do que aconteceu com canções de outros artistas, Asa branca não foi censurada, e o argumento final foi de que a canção não faz referência a nenhum regime de governo específico.
   Esse exemplo mostra que é possivel ser crítico sem ser panfletário. Que pode-se falar o óbvio sem usar de chavões. Mas isso são coisas que nem os punks, os intelectuais, os universitários, os pré-adolescentes e nem idiotas de outros tipos conseguem perceber.

Segue a letra de Asa Branca, composição de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira:

Quando oiei a terra ardendo
Qua fogueira de São João
Eu perguntei a Deus do céu, uai
Por que tamanha judiação

Que braseiro, que fornaia
Nem um pé de prantação
Por farta d'água perdi meu gado
Morreu de sede meu alazão

Até mesmo a asa branca
Bateu asas do sertão
Então eu disse a deus Rosinha
Guarda contigo meu coração

Hoje longe muitas léguas
Numa triste solidão
Espero a chuva cair de novo
Para eu voltar pro meu sertão

Quando o verde dos teus oio
Se espalhar na prantação
Eu te asseguro não chore não, viu
Que eu voltarei, viu
Meu coração



Escrito por vacallx às 18h58
[] [envie esta mensagem
]





Brasil democrático

   De um profesor de história para um aluno de 30 anos:
- O que é república?
- Não sei.
- O que é Estado?
- Não sei.
- Você vota?
- Voto!
- O Brasil é República?
- Sim!
- E o que é república?
- Boa pergunta...

   Tipo, se isso não fosse verdade, se não fosse normal essa ignorância, essa piada não teria muita graça, mas isso é real e não é incomum. Mas o pior de tudo é achar que isso é um absurdo e que algo deve ser feito para mudar. Só um tolo idealista acredita nisso, e um desses só foi visto em 89, mas não foi eleito presidente, na época.



Escrito por vacallx às 11h40
[] [envie esta mensagem
]





Um pouco sobre um Deus

   Deus criou os homens para brincar de bonecos.
   O homem criou bonecos para brincar de Deus.
(Neon Genesis Evangelion)

   Deus é um conceito que só existe nesse mundo.
   (Serial Experiments Lain)

   O Demônio me deu asas que Deus me negou.
   (Karranca)



Escrito por vacallx às 02h22
[] [envie esta mensagem
]





Travesti

   Travesti de noite nas ruas não é bem uma novidade. Mas uma outra coisa além de ver um travesti me chamou a atenção: ele jogou papel no chão. Um ato simples e cotidiano, mas foi justamente isso que desencadeou uma série de pensamentos. Entre eles, mais ou menos na sequência ocorrida, foram esses:
1 - Travestis não deveriam jogar papel no chão. Ampliando também para qualquer outra minoria. Esse ato contradiz em parte a luta das minorias, enquanto minoria, grupo, entidade, etc.
2 - Se eles defendem uma causa deles, deveriam conhecer a causa de outros, serem solidários e mesmo partidários. Coisa que aquele travesti em questão não foi, já que jogar papel no chão é anti-ecológico.
3 - O fato dele ser travesti não influencia em nada. Essa condição não pressupõe uma orientação política ou um determinado comportamento além do travestir. Ele também está sujeito a ter preconceitos de qualquer natureza. Não só preconceito, mas um comportamento que possa ser reprovado por outros grupos - como os eco-chatos.
4 - Isso parece resultado de uma condição que a grande maioria hoje está sujeita: a individualidade. Não egoísmo, mas individualidade de comportamento na defesa dos interesses próprios do universo que pertencemos - normalmente o mundo ao nosso redor, girando em torno de nós mesmos.
5 - Assim sendo, ele pode querer se inserir, ser aceito, etc como cidadão, como pessoa; Ter a liberdade de andar como deseja - não só à noite, escondido, disfarçado - sem sofrer de preconceitos e/ou discriminação. Ele pode desejar isso, mas não quer dizer que ele se importe com outras coisas: reciclagem, política, educação...



Escrito por vacallx às 01h15
[] [envie esta mensagem
]





Especialistas

   O Brasil não ganhou a Copa, mas com certeza ganhou em besteira. Se não bastasse ao mundo (o nosso) ter sido parado para ver a Copa, outros elementos foram acrescentados. Já era esperado que ninguém morresse no Oriente Médio e que nenhuma denúncia de corrupção surgisse, mas esperar que outras formas de entretenimento surgissem era masoquismo demais.
   Essa baboseira de leitura labial trazida pela Globo é muito tosca. Primeiro, e como sempre, tenta se embasar em "especialistas". Esse é o primeiro passo pra se isentar de parte da bobagem e ainda se engrandecer ao atribuir um caratér científico. Mas vejamos: existe bobagem científica? Sim existe: os ingleses são especialistas nisso e o Brasil caminha bem nesse sentido.
   Pra não se prener a um lugar comum que são os programas da Globo, basta ver o Casos de Família que passa no SBT. O programa todo se baseia em alguma tosquice entre parentes ou amigos próximos e no final uma psicóloga comenta o que acontece e como mudar a situação. Quem for idiota que acredite em algum bem maior nisso tudo.



Escrito por vacallx às 00h31
[] [envie esta mensagem
]





Banheiro público

   Se nas ruas não tem banheiro público, o que fazer? Se a pessoa está com vontade de ir no banheiro, o que ela pode fazer? Esperar e torcer pra vontade passar? Ou ficar com o incoveniente de se apertar até chegar em casa ou em qualquer ambiente que tenha um banheiro disponível? Quem quizer pode seguir uma dessas duas opções, mas também existe outra para quem não se importa muito com as convenções: fazer na rua!
   Fazer cocô na rua é complicado, já que a pessoa fica sem defesas nessa ocasião: ou a mercê dos engraçadinhos ou de qualquer pilantra oportunista. Como evitar esses ataques se está ocupado cagando? Beleza, cagar não é uma boa. Mas fazer xixi é! Mijar é fácil e rápido, principalmente para os homens.
   Fazer xixi na rua não é desrespeito maior do que ficar apertado só porque nas ruas não tem banheiro público. E esse pudor idiota também não justifica.



Escrito por vacallx às 18h52
[] [envie esta mensagem
]





Propaganda dos programas do Governo

 

   Tem propaganda que é chata ou mal feita. Mas as propagandas dos programas do Governo em sua maioria são insuportáveis! Na verdade não lembro de nenhuma legal...
   Vejamos uma:
Pro-Uni: Triste. Pegaram uma música sem vergonha e anacrônica; que hoje soa vazia, ou no mínimo demagoga - Pra não dizer que não falei das flores. Seguindo a cartilha do politicamente correto mostra todas as minorias - negros, mulheres, deficientes, etc. Tudo bem disfarçado pra apresentar o programa tosco do Governo de vagas para estudantes de escolas públicas em universidade privadas. Talvez seja uma nova metodologia, transformar o absurdo em virtude.



Escrito por vacallx às 03h40
[] [envie esta mensagem
]





Opção sexual


Quando a ignorância vence a boa vontade

    É de uma estupidez incrível a expressão "opção sexual". Só um idiota repetiria isso - mas idiotas é o que não falta. Se prestarmos atenção na expressão, a palavra "opção" indica uma escolha. Ou seja, a pessoa escolheu, quis ser e é porque quer homossexual. E isso abre margem pra muito mais preconceito, por exemplo: Se quis ser, pode deixar de ser; Se escolheu assim é porque é safado/pervertido; Se quis ser, pode querer deixar de ser. Etc...
    A expressão utilizado hoje é "orientação sexual". Ou seja, uma orientação natural, que foge do controle da pessoa. E como é natural, não é doença e nem nada que se menos preze. Desconhecer isso é deixar a ignorância prevalescer sobre a boa vontade. E isso para dizer o mínimo, porque em alguns casos pode estar prevalecendo sobre a mentira, a falsidade, à babaquice do politicamente correto, etc...

    Mais informações aqui ---> orientação sexual



Escrito por vacallx às 14h46
[] [envie esta mensagem
]





Homossexualismo


Quando a ignorância vence a boa vontade

   Falar em homossexualismo é estar atrazado em pelo menos 30 anos. Este termo era utilizando quando ainda se considereva a relação homossexual uma doença, dae a terminação "ismo".

   Desconhecer que o termo utilizado hoje é homossexualidade, é provar com a própria ignorância que os próprios conceitos ainda estão desestruturados. Para dizer o mínimo... e isso é típico dos idiotas.



Escrito por vacallx às 00h40
[] [envie esta mensagem
]





Batismo

   Por que diabos alguém ainda batiza uma criança? Tipo, se a família não é católica (católico não praticante é só mais uma mentira da Igreja) por que faria isso? Será que o padre explica o significado da parada? E alguém ainda acha que isso faz sentido? Não pode ser!
   Pequenas tradições assim podem ser rompidas, esquecidas e substituídas. Toda mudança abre perspectivas! Continuar com o que não acrescenta em nada é idiotice. Apenas repetir porque foi ensinado assim é pior ainda.



Escrito por vacallx às 09h47
[] [envie esta mensagem
]





Morreu já era

   Por que diabos alguém vai a um velório? Num já morreu? Então enterra e acabou! Esse tipo de ritual é completamente ultrapassado. De nada serve, de nada adianta. A religião que deveria servir para confortar a alma não anda fazendo bem o seu papel. Esse tipo de conforto espiritual só aparece depois, quando já deveria estar resolvido há muito tempo. Se for assim, o espiritual não tem grande valor...
   O enterro é outra bobagem. Todo o protocolo é uma chatice e sem sentido. O discurso, o carregar do caixão, o choro, a descida do caixão. Enfim, é algo que se perpetuou e hoje está ultrapassado. Bastaria cavar e joga na vala. Pronto. Se quer ter algum ritual, então faça um com sentido pra você, não apenas reproduzir um apenas por hábito. Mas cada idiota faz o que quer.



Escrito por vacallx às 11h51
[] [envie esta mensagem
]





Como evitar críticas

   Todo mundo sabe que a melhor forma e a mas eficiente de diminuir um defeito próprio é ironizando-o. Ou seja, você faz a piada sobre o defeito antes que outro o faça e te humilhe. Isso não é segredo para ninguém. Nem mesmo para os grandes artistas da mídia.
   O que Mombonjó, Pitty e Marcelo D2 tem em comum além de serem um desastre sonoro? Simples, eles usaram a fórmula descrita acima. Mombojó com seu caldeirão de influências e referências e toda aquela mistureba inútil e como toda mistura deveria soar como algo novo, simplesmente lança um disco intitulado nadadenovo - óbvio. Pitty que no seu primeiro disco falou tudo que a pivetada queria ouvir a já foi dito a 50 anos atrás, repetiu a fórmula no seu segundo disco, que se chamou Anacrônico - coincidência? Nunca! Já o agora bom moço do Marcelo D2 que insiste em dizer que faz samba, para não deixar qualquer dúvida fez um disco intitulado Meu samba é assim - nada mais covarde.



Escrito por vacallx às 19h52
[] [envie esta mensagem
]





Pseudo-jornalismo

   A função do jornalismo deveria ser informar, mas antes de ser cidadão os leitores são um mercado consumidor. Sendo assim, o jornal/notícia se torna uma mercadoria. É nesse contexto que se encontram modelos pré-fabricados de reportagens.
   Umas das formas de reportagens que mais prende atenção e ainda valoriza o veículo que a fez é a investigativa/denúncia. Pricipalmente aquela que tem elementos como repórter disfarçado, câmera oculta ou gravação de telefonemas. Isso tudo em muitos casos é crime de falsidade ideológica ou o famoso grampo, cometidos pelo jornal. Mas isso nunca é lembrado.
   Valorizar esse tipo de prática é querer entrar para um nada seleto grupo de idiotas, pois acaba tendo uma compreensão limitada e viciada, aceitando num jornalismo sem ética e muito menos preocupado com a verdade.



Escrito por vacallx às 12h34
[] [envie esta mensagem
]



 
  [ Ver arquivos anteriores ]